terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

"AS ROUPAS NOVAS DO IMPERADOR"


Esta 3ª feira de Carnaval, fica a sugestão deste conto "AS ROUPAS NOVAS DO IMPERADOR", escrito em 1837 por Hans Christian Andersen.
É um dos nossos contos preferidos, por vezes temos necessidade de voltar atrás no tempo e recuperar as vivências da nossa infância, onde o sonho e a ingenuidade estavam tão presentes.

Autor: Hans Cristian Andersen
Ilustração: Vaida Gasiunaite
Tradução:Andrea Alves Silva
Edição: GAILIVRO

9 comentários:

Linda Castelo-Grande disse...

Este conto sempre teve algo de mágico e inacreditável na minha infância. Como era possível enganar tanto adulto e só o olhar de uma criança, conseguia ver a verdade!?!?
A ingenuidade da nossa infância não permitia, compreender as verdades incómodas e a incapacidade crítica da nossa sociedade!
Afinal... a conveniência social fala mais alto!

Cristina Brandão disse...

Bem verdade!!!
Que saibamos manter esta ingenuidade, transparência e sinceridade nas nossas interações...
Bjs

UM POUCO SOBRE MIM disse...

Olá professora Linda, vou ler novamente este livro só por sua sugestão.
Mais tarde dou o meu parecer
Beijos Cristina

anacantante disse...

Bem verdade!!
Obrigada pela sugestão

Thereza disse...

Linda,
Como sempre suas escolhas são
TÃO ESPECIAIS!

Margarida disse...

Pois, sao historias sempre actuais e uma boa sugestao.
O teu site tem sempre boas ideias,continua.Um abraco Guida

Jocelyne disse...

Olà Goga ! boa noite à todas e todos ! Bonsoir à toutes et à tous ! Quand j'étais gamine, ma grand-mère m'avait offert de conte d'Andersen à Noël et j'ai adoré cette histoire où la spontanéité d'un enfant a permis d'ouvrir les yeux des adultes trop naïfs, trop commodistes qui ont fait le jeu des escrocs pour garder leur statut... Ce conte comme tous les contes a une morale et ce sera un plaisir pour les enfants qui le liront de découvrir que leur spontanéité et le seul fait de dire la vérité permet souvent d'éclairer certains adultes qui font fausse route et se perdent en illusions stériles. La vérité sort de la bouche des enfants et cette vérité issue de l'enfance est un véritable trésor !
A verdade sempre sai da boca das crianças e esta verdade é um tésouro ! beijinhos, Jocy

Jocelyne disse...

A minha avo me ofereceu este livro para o Natal e gostei imenso desta historia que destaca as palavras duma criança em frente à credulidade e a conveniência dos adultos que tinham entrando no falso jogo de dois bandidos, unicamente para não arriscar de perder crédito aos olhos dos outros. A espontaneidade fresca da infância é muito valorizada neste conto porque é uma criança que abriu os olhos dos adultos, e ainda por cima do Imperador, o maior simbolo do estado ! Um pequenito do povo enfrentou todos os crescidos e sobretudo a pessoa a mais importante da sociedade, à suas ilusões esteriles. Poi é, as crianças dizem o que ela vêm realmente, as crianças não são capazes de fazer qualquer batota, elas dizem a verdade e podem adjudar certas vezes os adultos à perceber quando eles estão num caminho errado. Os adultos são os educadores das crianças mas pode acontecer que as crianças dessem umas lições de verdades à certos adultos... Pois, muitos educadores estão cientes de que a espontaneidade das crianças é um verdadeiro tesoro que constitui uma real fonte de enriquecimento mutuo .....................

Ana Paula disse...

Parabéns pelo projecto!!